releases Toggle

CLIA ABREMAR BRASIL REALIZA PRIMEIRO ENCONTRO SETORIAL DE CRUZEIROS MARÍTIMOS SOBRE TRABALHO A BORDO

Nesta quarta-feira, 10 de setembro, a CLIA ABREMAR BRASIL (Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos), realizou o primeiro Encontro Setorial de Cruzeiros Marítimos sobre trabalho a bordo, no Hotel Grand Bittar, em Brasília (DF).

O encontro contou com a presença de 50 convidados, entre eles o Secretário Executivo do Ministério do Turismo, Alberto Alves, que representou o Ministro do Turismo, Vinícius Lages; Cristiano Borges, Coordenador do Grupo Técnico Náutico do Ministério do Turismo; Ana Kátia Martins, que representou o presidente da Comissão de Turismo da Câmara Federal; Deputado Renato Mulling; Marjolaine Canto, representante da CNC junto ao Conselho Nacional de Imigração; e a Dra. Junia Bonfante, Procuradora Regional do Trabalho da Primeira Região.

O evento teve apresentação do Dr. Paulo Sérgio de Almeida, do Conselho Nacional de Imigração (CNIg), que relatou a evolução das normativas do Conselho e os fundamentos pelos quais o CNIg elaborou a RN 71, que exige uma cota de 25% de brasileiros a bordo e reconhece a normativa internacional quando os contratos forem de longo prazo. O Dr. Paulo Sérgio acrescentou, ainda, que o setor de Cruzeiros Marítimos gerou possibilidades de emprego que não existiam antes.

Na parte da tarde, o Dr. Pedro Paulo Teixeira Manus, ex-Ministro do Tribunal Superior do Trabalho, aprofundou o tema sobre a legislação aplicável aos trabalhadores dos navios de Cruzeiros. 

Logo após, Naim Jose Ayub, Diretor de Cruzeiros Marítimos, e Nicola Rotulo, Diretor Institucional para Tripulantes, contaram sua experiência como tripulantes e a vida dentro de um cruzeiro marítimo. Naim relatou seu conhecimento de vida a bordo, desde que começou a trabalhar como tripulante, no cargo de animador infantil em um navio, até hoje, 27 anos depois, como Diretor de Cruzeiro, uma das funções mais importantes a bordo. E Nicola descreveu algumas vantagens da vida a bordo, como remuneração elevada, aprendizado de línguas e costumes, e oportunidades de trabalho ao deixar a vida a bordo; e as desvantagens, como o trabalho árduo e a distância da família.

Para encerrar o I Encontro Setorial de Cruzeiros Marítimos, o senhor Paolo Serretiello, representante do Sindicato Internacional de Trabalhadores Marítimos – ITF (International Transport Workers’ Federation) contou como funciona a regulação internacional nos contratos de trabalho e afirmou que o Sindicato fiscaliza a prática de salários e a jornada dos tripulantes, além de diversos outros itens. Paolo ainda relatou que os navios não cumpridores entram em uma “black list”, ao contrário dos navios em conformidade, que são beneficiados com um ano de anistia nas fiscalizações.

Para finalizar, o presidente da CLIA ABREMAR BRASIL, Roberto Fusaro, agradeceu a todos os participantes e ratificou que a meta é olhar para o futuro e criar as condições para que indústria volte a crescer no Brasil, revertendo a perda de 5 mil empregos na indústria – da temporada 2010/2011 para a temporada 2013/2014. “Esse objetivo vai ser alcançado com normativas claras, que permitam aos armadores continuar oferecendo excelentes condições de emprego, corrigindo os erros onde existirem, mas dando certeza às relações entre empregador e empregado”, conclui.

Trabalho a bordo

O setor de cruzeiros marítimos gerou, na temporada 2013/2014, 15.465 postos de trabalho na economia brasileira, o que representou um resultado 25,1% inferior ao apurado em 2010/2011, sendo 2.591 tripulantes dos navios (-53,8%) e 12.874 gerados, de forma direta e indireta (-14,4%), pelos gastos dos turistas nas cidades portuárias de embarque/desembarque e visitadas, além dos gerados na cadeia produtiva de apoio ao setor.

Comments are closed.