releases Toggle

GERAÇÃO DE POSTOS DE TRABALHO

Importantes impactos na criação de postos de trabalho foram gerados pelos gastos das armadoras e dos cruzeiristas, tanto dentro dos navios como na cadeia produtiva movimentada pelos cruzeiristas nas cidades portuárias e pelas armadoras em diferentes cidades do país (portuárias e não-portuárias).

Com o auxílio dos denominados “efeitos multiplicadores”, que foram utilizados para capturar a totalidade desses impactos, o presente estudo desenvolveu um modelo de movimentação econômica, baseado na Matriz Insumo-Produto (MIP), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O modelo representa a economia brasileira por meio de 55 atividades econômicas, 110 categorias de produtos e 10 perfis de renda/consumo da população, e permite estimar os impactos totais (diretos, indiretos e induzidos) das atividades relacionadas aos Cruzeiros Marítimos sobre a produção nacional, emprego, renda, consumo e arrecadação tributária.

O setor de cruzeiros marítimos gerou, na temporada 2013/2014, aproximadamente 15.465 postos de trabalho na economia brasileira, o que representou um resultado 25,1% inferior ao apurado em 2010/2011, sendo 2.591 tripulantes dos navios (-53,8%) e 12.874 gerados, de forma direta e indireta (-14,4%), pelos gastos dos turistas nas cidades portuárias de embarque/desembarque e visitadas, além dos gerados na cadeia produtiva de apoio ao setor.

Sem Título3

Comments are closed.