O BRASIL NA VITRINE DE SUAS CONTRADIÇÕES NO TURISMO



O Brasil precisa avaliar sua atuação no cenário turístico e intensificar sua prioridade na lista de ações pontuais no Turismo. A infraestrutura precisa melhorar muito, os preços das passagens aéreas e das taxas aeroportuárias são altos, "assim como os preços em geral". Também é alta a carga tributária, os preços das acomodações e dos combustíveis. Adicione-se a isso a excessiva burocracia para o setor de viagens e turismo, tanto para os viajantes como para as empresas do setor, e a questão da segurança, que afugenta os turistas.

Eis o quadro altamente negativo traçado para o Brasil pelo Fórum Econômico Mundial em seu último “Relatório de Competitividade do Turismo de 2013”. Entre os dois últimos relatórios, o Brasil subiu apenas uma posição e ainda se encontra em um distante 51º lugar, entre 142 países. É apenas o sétimo colocado nas Américas, atrás do Panamá. Apesar de todos os problemas, este País ainda é um lugar de grande interesse para os estrangeiros, graças às suas características naturais e culturais.

É uma grande contradição – o Brasil poderia estar hoje entre os destinos mais procurados do mundo, não fossem os entraves criados por ele mesmo. No turismo em terra, diz o Fórum, as principais barreiras para tornar o Brasil mais atraente para viajantes estrangeiros ou locais são o precário sistema de transportes, a mão de obra especializada em receptivo e os preços altos.

"A rede de transportes permanece subdesenvolvida", esclarece o relatório. Nesse quesito, o Brasil ocupa a 129ª posição, pois a qualidade das estradas, dos portos, dos aeroportos e das ferrovias "requer melhorias para acompanhar o desenvolvimento econômico do País".

Só mesmo o Brasil não percebe o quanto perde de divisas ao dar tão pouca importância ao turismo, que responde por 9% do Produto Interno Bruto mundial, cerca de US$ 6 trilhões, e gera 245 milhões de empregos diretos e indiretos.

Num momento de crise econômica mundial, o Brasil poderia se beneficiar de toda a comodidade e a hospitalidade oferecida pelo turismo marítimo, para enfrentar este enorme contraste para os problemas enfrentados em terra. Mas seria preciso desamarrar as teias burocráticas e dotar os portos de melhor infraestrutura para receber os viajantes. E tirarmos proveito dos quase oito milhões de quilômetros da nossa belíssima costa marítima.

O relatório do Fórum informa que vários países adotam tratamento diferenciado para favorecer as viagens turísticas, como a facilitação do processo de visto para certos tipos de visitantes. A simplificação varia de acordo com o meio de transporte. Por exemplo, os passageiros de navios de cruzeiro são autorizados a desembarcar sem o visto, assim como os de aviões fretados têm tratamento especial para áreas geográficas específicas ou portos de entrada, especialmente turistas.

É inegável a contribuição do turismo marítimo paras os países mergulhados em grave crise econômica, como Grécia, Itália e todo o Mediterrâneo. São os turistas de cruzeiros desembarcados ali que levam seus dólares para movimentar e atenuar os efeitos das crises locais. Nosso País não precisa de divisas para turbinar também sua economia?

Convém notar que o Brasil ocupa hoje o quinto lugar entre os destinos de cruzeiros marítimos no mundo, mas o crescimento experimenta agora uma freada em razão de custos comparado a outros países sul-americanos, como a Argentina, fazendo com que fiquemos de costas para o mar.

E algumas razões disso estão bem explicitadas no relatório do Fórum Mundial, além dos já apontados na infraestrutura para o turismo terrestre. O Brasil está em 140º lugar no subitem de altos impostos em geral, em 72º no preço das acomodações, na 77º colocação na questão do preço dos combustíveis e entre os últimos (119º) na excessiva burocracia para o setor de viagens e turismo.

Vejamos o outro lado da moeda, que o País não sabe aproveitar. No estudo do Fórum Mundial, o Brasil é o primeiro do mundo em recursos naturais, o sexto em locais reconhecidos como patrimônio mundial e o 16º em locais reconhecidos como patrimônio cultural.
Ou seja, os dados estão postos. Só falta acordar.




COSTA CROCIERE - 65 ANOS DE HISTÓRIA


A Costa Crociere iniciou uma série de ações especiais pelo mundo em comemoração aos seus 65 anos. A companhia marítima celebrou oficialmente seu aniversário no dia 31 de março e uma grande campanha publicitária foi lançada destacando o relacionamento da Costa Crociere com seus clientes ao longo de 65 anos: “Desde 1948, sempre com você, sempre mais”. No Brasil, os clientes puderam compartilhar suas experiências a bordo dos navios da companhia. Na página da Costa no facebook (facebook.com/costacruzeiros) foram desenvolvidos um álbum e um vídeo com fotos marcantes dos hóspedes durante todo o período de operações da empresa no país. Na semana do aniversário, a área de check in da companhia no porto de Santos ganhou uma decoração comemorativa com placas e balões.

OASIS OF THE SEAS ANUNCIA MINI TEMPORADA NA EUROPA EM 2014

A Royal Caribbean International anuncia hoje que o maior e mais inovador navio de passageiros do mundo, Oasis of the Seas, fará pela primeira vez roteiros pela Europa em uma curta temporada no outono de 2014. Com abertura para as vendas dia 11 de abril, o premiado navio oferecerá a oportunidade de uma degustação de seus serviços pelo Velho Continente. Duas travessias transatlânticas proporcionarão a oportunidade de experimentar todas as atrações exclusivas. Além destas, outros três diferentes cruzeiros pela Europa com saídas de cinco e sete noites completam o calendário.


MSC CRUZEIROS ANUNCIA ROTEIROS NO CARIBE PARA O ANO TODO

Estimulada pela demanda e pelo seu crescimento sem precedentes, a MSC Cruzeiros levará o luxuoso MSC Divina para roteiros durante o ano todo no Caribe, com saídas do porto de Miami, Fort Lauderdale, a partir de novembro. O navio destaca 27 mil m² de áreas comuns, sete restaurantes, diversos bares e lounges, cinco piscinas, incluindo uma de borda infinita, boliche, cinema 4D, simulador de F1, além do MSC Yacht Club, um amplo espaço de hospedagem e serviços seis estrelas, com 69 suítes de alto luxo na proa. A substancial evolução da MSC Cruzeiros, apontada por agentes de viagens e consumidores, está entre os fatores que levaram a armadora italiana a reforçar sua presença no Caribe.




SHARON STONE BATIZA O AMAVIDA

A AmaWaterways, representada no Brasil pela Firstar, e seu parceiro DouroAzul, de Portugal, estenderam o tapete vermelho para o batizado do seu mais novo navio, o AmaVida. A empresa DouroAzul, construtora e proprietária do navio, organizou uma cerimônia de batismo repleta de estrelas, com destaque para a madrinha do AmaVida – a glamurosa atriz e filantropa Sharon Stone. Convidados da cerimônia de batismo foram brindados com apresentação do cantor Michael Bolton, vencedor do Grammy. "Um belo navio merece uma bela madrinha. Estamos muito entusiasmados com a presença, aqui, da adorável e graciosa Sharon Stone para abençoar o AmaVida neste dia muito especial” disse Kristin Karst, vice-presidente executiva e coproprietária da AmaWaterways. "O AmaVida é o navio mais inovador e eco-friendly a navegar no Rio Douro. Muito nos anima compartilhar com o nosso parceiro DouroAzul a comemoração do batismo”.






QUEENSBERRY APRESENTA O ESPERADO RETORNO AO TAHITI


Após anos de ausência da polinésia Francesa, o Wind Spirit, da Wind Star Cruises, representada no Brasil pela Queensberry Viagens, voltará a passar temporadas por lá. Os roteiros visitarão as mais belas ilhas do arquipélago em programação de 28 cruzeiros de 7 dias (7 noites), partindo de Papeete cada sexta-feira, entre Maio e Novembro de 2014. A viagem inclui: Moorea, Taha’a, Raiatea, Huahine e Bora Bora, e a companhia já está aceitando reservas.